Blog

Por que os diagnósticos errados de mesotelioma são tão comuns?

EMmédico com caneta e pranchetaSeja a exposição primária devido ao trabalho direto com o material perigoso ou a exposição secundária sofrida por amigos e familiares, o contato com fibras de amianto pode levar a condições devastadoras e mortais. Infelizmente, não é incomum que os profissionais médicos diagnostiquem incorretamente mesotelioma, asbestose ou câncer de pulmão quando os primeiros sintomas se tornam aparentes.

Embora cada situação seja única, existem vários fatores que podem impactar dramaticamente a velocidade e a precisão de um diagnóstico médico de mesotelioma, incluindo:

  • Sobreposição de sintomas: Infelizmente, o mesotelioma compartilha numerosos sintomas com outras doenças pulmonares que variam em gravidade. Isso pode tornar difícil para um profissional médico diagnosticar com precisão a condição mais mortal. Os indivíduos podem ter febre, tosse seca, dificuldade em respirar e dor no peito durante os estágios iniciais do mesotelioma, que podem ser confundidos com inúmeras outras condições, incluindo gripe, bronquite ou pneumonia.
  • Latência prolongada: Várias décadas poderiam separar a exposição ao amianto dos sintomas graves do mesotelioma. Isto é conhecido como período de latência e este longo período de latência pode dificultar a ligação da exposição perigosa à condição mortal.

Além disso, os profissionais médicos podem achar difícil diagnosticar o mesotelioma devido aos diferentes tipos de exposição. A exposição primária pode ser mais fácil de detectar, mas a exposição secundária pode ser difícil. A exposição secundária, muitas vezes chamada de exposição doméstica ou familiar, costuma ser ocultada dos exames médicos. Nessas situações, indivíduos que nunca foram expostos diretamente ao amianto ainda podem inalar ou ingerir as fibras, apresentando eventualmente sintomas catastróficos.

Compartilhar