Júri de San Francisco dá um veredicto de $ 8,4 milhões de dólares para ex-drywaller com mesotelioma

Exposição ao amianto do composto de junta Red Dot

Júri de São Francisco dá um veredicto de $ 8,4 milhões de dólares para ex-drywaller com mesotelioma

San Francisco, CA — 15 de junho de 2009 — Depois de um dia de deliberação, um júri de San Francisco decidiu a favor de Jack Reynolds, um ex-drywaller de Rio Vista, Califórnia, em seu julgamento de responsabilidade de produtos contra a Hamilton Materials, Inc., um fabricante , e distribuidora de compostos para juntas contendo amianto. Depois de determinar que a ré Hamilton Materials, Inc. câncer fatal da pleura que envolve os pulmões.

Jack Reynolds served in the US Navy from 1954–1964 primarily aboard two naval vessels—USS MASON, a naval destroyer, and USS RANGER, an aircraft carrier. Aboard these ships, he worked primarily as a painter and in the laundry service department. After an honorable discharge, Mr. Reynolds went to work for a fellow navy serviceman’s business installing and finishing the drywall in primarily residential construction. He did this until approximately 1973 where his employment changed from construction to the travel industry. His last occupational exposure to asbestos occurred in 1973. He retired in 1999. In 2008, he was diagnosed with left-sided malignant mesothelioma. He has received chemotherapy, multiple drainings of pleural effusions as well as talc pleurodesis designed to help prevent further chest fluid accumulation.

O mesotelioma é um câncer invariavelmente fatal do revestimento da parede torácica causado pela exposição ao amianto . Na maioria das vezes, apresenta-se muitas décadas após a exposição ao amianto, dependendo da suscetibilidade individual do trabalhador. O Sr. Reynolds reside atualmente em Rio Vista, Califórnia.

O réu Hamilton Materials, Inc. com sede em Orange, Califórnia, era fabricante e fornecedor do composto para juntas contendo amianto da marca “Red Dot” de 1963 a 1977, um produto usado para preencher juntas entre folhas de drywall que é lixado após a aplicação emitindo grandes quantidades de poeira.

No julgamento, os queixosos apresentaram evidências mostrando que, quando usados conforme pretendido, os produtos compostos de amianto da Hamilton Materials, Inc. tinham que ser aplicados, lixados, remexidos e limpos – todos liberando pó perigoso de amianto respirável. O júri atribuiu 20% da responsabilidade à Hamilton Materials, Inc.

“Estamos muito felizes pelo Sr. Reynolds e sua família, pois eles são pessoas boas e merecedoras”, disse o advogado de Gil Purcell para Jack Reynolds. Gil Purcell, Andrew Chew e Hallie Albert, advogados de mesotelioma da Brayton Purcell LLP, representaram Jack Reynolds no julgamento.

O julgamento, que começou em 20 de maio de 2009, foi presidido pela Honorável Mary E. Wiss, do Departamento 504 do Tribunal Superior de São Francisco. O réu Hamilton Materials, Inc. foi representado no julgamento por Thomas J. Tarkoff e Kurt Putnam de Walsworth, Franklin, Bevins e McCall, LLP, San Francisco, Califórnia. Outros réus resolvidos em ou durante o julgamento.