Maquinista e esposa morrendo receberam milhões de veredicto de maior perda de consórcio em um julgamento de amianto

Prêmio pela dor da vítima do mesotelioma

Maquinista e esposa moribundos recebem US$ 4,5 milhões; Maior perda de veredicto de consórcio em um julgamento de amianto

SÃO FRANCISCO — 28 de outubro de 1998 — Um júri de São Francisco concedeu a Daniel Wilson Sr. e sua esposa, Lois Wilson, US$ 4.591.091,51 por danos. Daniel Wilson, Sr. 62 anos, sofre de uma forma rara de câncer, o mesotelioma maligno, causado pelo amianto. O réu, John Crane, Inc. fabricou e forneceu produtos de amianto, incluindo embalagens e juntas, que Daniel Wilson, Sr. usou durante a maior parte de sua carreira trabalhando nas usinas de energia do sudoeste dos Estados Unidos. O Sr. Wilson atualmente mora no Novo México.

O caso foi enviado para julgamento em 8 de julho de 1998, sob a presidência do Honorável Douglas Munson. Um júri foi empossado em 22 de julho de 1998, e as declarações iniciais dos advogados dos demandantes e do réu foram feitas dois dias depois. A apresentação efetiva de provas e testemunhas só começou em 28 de setembro de 1998.

Em um esforço para atrasar o julgamento do caso dos Wilsons no Tribunal Superior de São Francisco, o réu, John Crane, Inc. apresentou várias moções que tiveram uma influência significativa no momento em que a apresentação das provas começou. O réu primeiro tentou encerrar o caso com base na expiração de um prazo de prescrição do Novo México para casos de responsabilidade pelo produto. Embora inicialmente bem-sucedido no nível do tribunal de primeira instância, o Tribunal de Apelação do Primeiro Distrito anulou a decisão do tribunal de primeira instância emitindo um mandado de mandato de emergência ordenando ao tribunal de primeira instância que anulasse sua ordem de demissão.

John Crane, Inc. também tentou adiar o caso, removendo-o para o Tribunal Federal. Depois de ouvir os argumentos do advogado e considerar os escritos, o Honorável Juiz Martin Jenkins do Tribunal Distrital Federal, Distrito Norte da Califórnia, devolveu o caso ao Tribunal Superior de São Francisco para julgamento. Uma moção para sanções e honorários advocatícios por esta remoção imprevidente contra John Crane, Inc.

De acordo com a lei da Califórnia, se o Sr. Wilson tivesse morrido durante esses atrasos processuais, John Crane, Inc.

Durante o julgamento, foram apresentadas evidências de que Daniel Wilson, Sr. instalava e removia regularmente embalagens e juntas contendo amianto da John Crane, Inc.. Daniel Wilson, Sr. foi exposto ao pó de amianto que emanava desses produtos. O júri ouviu um colega de trabalho que descreveu o tipo de trabalho que o Sr. Wilson executou e as condições sob as quais trabalhou regularmente como maquinista durante sua carreira no Arizona Public Service, a empresa de serviços públicos que possuía e operava as usinas de energia envolvidas. . O júri também ouviu o Sr. Wilson e sua esposa sobre os efeitos que sua doença debilitante teve em suas vidas.

Daniel Wilson, Sr. sofre de mesotelioma, um câncer invariavelmente fatal que envolve o revestimento dos pulmões. Embora este cancro seja raro na população em geral, cerca de 1.500 a 2.000 casos por ano ocorrem em pessoas expostas, mesmo a quantidades relativamente pequenas de amianto.

Daniel Wilson Sênior começou a trabalhar para o Serviço Público do Arizona na sala de correspondência no final dos anos 1950. Ele rapidamente subiu na hierarquia de ajudante de máquina e soldador, aprendiz e maquinista jornaleiro, até que finalmente se tornou um capataz ativo de manutenção e isolador na usina de energia Four Corners, no Novo México, em 1973. Daniel Wilson, Sr. para o Serviço Público do Arizona, servindo em diversas usinas de energia no Arizona e no Novo México até se aposentar em 1991. Ao longo do caminho, ele foi reconhecido por diversas conquistas profissionais envolvendo segurança, eficiência e qualidade do trabalho.

O júri concedeu a Daniel Wilson, Sr. US$ 591.091,51 em danos econômicos e US$ 3.000.000 em danos não econômicos, incluindo dor e sofrimento. O júri concedeu a Lois Wilson US$ 1.000.000 por sua perda de reivindicação de consórcio. Acredita-se que esta seja a maior perda de veredicto de consórcio concedido em uma ação contra amianto.

Daniel Wilson, Sr. e Lois Wilson foram representados por Gilbert Purcell, Esq. da Brayton Purcell LLP de Novato, Califórnia.