Blog

Pesquisadores descrevem teste potencial para estágios iniciais do mesotelioma

Naturalmente, gostamos de procurar causa e efeito ao lidar com a maioria das coisas em nossa vida. Se tocarmos em uma panela quente, sentiremos dor e poderemos ver uma mancha vermelha na pele onde nos queimamos na panela. Doenças como o cancro podem ser um problema, porque alguns cancros têm longos períodos de incubação, desconectando a causa do efeito.

O mesotelioma é um câncer mortal que atua dessa forma perturbadora. Uma pessoa pode ter sido exposta a fibras de amianto anos antes, trabalhando em um estaleiro, com materiais elétricos ou manuseando sistemas de encanamento ou aquecimento. Eles podem parecer saudáveis por muitos anos, mas depois começam a sentir tosse ou talvez sintam falta de ar. Eles podem ignorar isso, pensando que é um resfriado ou que não estão em tão boa forma física como antes.

Por fim, eles vão ao médico e, após exames, descobrem que têm mesotelioma e podem ter apenas alguns meses de vida. Pesquisadores da NYU School of Medicine publicaram os resultados de um estudo no New England Journal of Medicine que pode dar mais esperança às vítimas do mesotelioma.

A pesquisa mostra a promessa de um potencial teste de detecção precoce para o mesotelioma. A descoberta de um produto proteico de um gene, que segundo o investigador principal, “está presente em níveis quatro a cinco vezes superiores no plasma de pacientes com mesotelioma em comparação com níveis em pacientes expostos ao amianto ou pacientes com diversas outras condições que causam tumores no peito.

Os pesquisadores trabalharão para desenvolver um teste diagnóstico baseado nesta proteína.

Fonte: NYU Langone Medical Center, “High Levels of Blood-Based Protein Specific to Mesotelioma”, 10 de outubro de 2012

Compartilhar